segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Ecologia e Cidadania

Gostei muito deste livro, aborda com exatidão um tema que é cada vez mais banalizado pela mídia, que é a ecologia e a cidadania, nosso papel perante os acontecimentos – nossa inércia. Tenho agora uma nova imagem de Carlos Minc, que ficou suja após se tornar Ministro do Meio Ambiente (o PT não agrada meus ideais), mas ainda sim tenho meus contras. Minc apresenta de forma concreta, com vários dados, os problemas ambientais no Brasil atualmente, sem “papo furado” sobre preservar a natureza, salvar os bichinhos da floresta e todo esse blá blá blá a qual estamos acostumados.

O que é muito frisado é que nós todos somos o meio-ambiente. O que temos em mente hoje é que estamos longe da realidade ambiental, pois nos fazem pensar assim, mas na verdade temos que nos incluir nas ações que são praticadas e dar o melhor de nós para mudar. Vemos notícias de catástrofes, e pensamos "puts, que droga isso", mas também somos culpados, pois isso é a reação do mundo perante as nossas ações. Temos que mudar a nossa forma de ver o mundo, os acontecimentos, e de algum jeito, ajudar, mesmo que seja uma pequena atitude mas que pelo menos colabore. O ideal seria mudar nossos hábitos, o que fazemos todos os dias, e isso é possível, é só cada um querer.

Os grandes responsáveis da poluição atualmente são as fábricas, a indústria em geral, que joga quantidades gigantescas de substâncias tóxicas na natureza, nos rios, no ar, e que com isso geram a morte de muitas espécies, não só animais morrem, mas pessoas também. A poluição também traz doenças graves, muitas vezes crônicas, às pessoas, que as têm se dar conta do motivo.

Espero que tenham mais livros informativos como este, que hajam informações, e com uma leitura dinâmica que agrada muito. O livro de Minc é uma das formas de tentar mudar as pessoas, juntando os fatos que às vezes passam despercebidos, para dentro da nossa vida, nos fazendo refletir sobre nossas atitudes, e como podemos fazer para mudar. Se todos contribuírem, podemos sim mudar o mundo, é só nós querermos.

2 comentários:

Donarte N. dos Santos Jr. disse...

Oi,
Fica a pergunta: se os grandes responsáveis são as indústrias, não será por nossa causa; afinal, elas fabricam para nós que consumimos, não é!?
Abraço,
Prof. Donarte.

Giordano disse...

Na verdade é o conjunto nós-indústrias, pois se nós não consumíssemos, eles não frabricariam, e são eles que incitam o nosso consumo.

E a roda gira cada vez mais rápido, sem previsões de parada...